9 passos para a sua liberdade financeira (Parte 2)

Não é indispensável ser rico para ficar livre das preocupações com dinheiro – talvez baste que você aprenda a encará-lo de forma diferente.

Aproveite agora a parte dois com os 5 próximos passos para sua liberdade financeira.

PASSO 5 – RESPEITE VOCÊ E O SEU DINHEIRO

“Respeito atrai dinheiro; desrespeito, repele”, diz a autora. Essa é uma das formas de explicar por que os ricos parecem sempre estar enriquecendo.

Eles levam a sério o dinheiro que têm e, por isso, procuram cuidar muito bem dele. Há apenas três formas honestas de ganhar dinheiro na vida: trabalhando, herdando ou investindo o dinheiro que você ganha enquanto trabalha para poder usufruir quando você não estiver mais apto para isso.

Você deve estar se perguntando: mas eu mal consigo pagar as minhas contas; como é que posso pensar em guardar alguma coisa? Resposta: se você não consegue fazer isso agora, quando está trabalhando e ganhando dinheiro, como é que vai fazer quando parar de trabalhar? Não vai fazer.

Então, faça agora. Não importa se a quantia que você pode economizar hoje lhe pareça ridiculamente baixa – é preciso começar de algum ponto. No longo prazo, se investir, terá seu pé-de-meia. Tenha em mente que quanto mais você ganhar, mais irá gastar.

Por outro lado, quanto menos você acha que ganha, menos gasta. Portanto, separe mensalmente uma parcela antes mesmo de começar a pagar as contas. É como se você ganhasse um pouco menos. Para Suze, o que importa é quanto você poupa, e não quanto você ganha.

Fazer investimentos de longo prazo em fundos de investimento ou por meio de um plano de aposentadoria é a melhor forma de poupar. Lembre-se: o tempo sempre trabalha a seu favor. Quanto antes começar, mais conseguirá acumular.

Quem inicia mais cedo pode fazer investimentos mais agressivos. Eles são mais arriscados, mas podem render muito mais. E você terá mais tempo para recuperar eventuais perdas. Suze acha que as pessoas têm que começar a pensar no valor futuro do seu dinheiro antes de gastá-lo.

Precisam fazer projeções de quanto aquele valor renderia se fosse investido. Só assim poderão analisar se o gasto realmente vale a pena naquele momento e quanto ele vai afetar o seu futuro financeiro.

Outros dois aspectos importantes para que você se respeite e respeite o seu dinheiro: pague o que você deve e dê importância a cada centavo. Ter dívidas é uma das piores coisas da vida. Pesa no espírito, mantém a mente atormentada e faz você se sentir preso – porque você está preso.

Portanto, corte os cartões de crédito ou escolha os que cobram os menores juros – o mesmo vale para cheque especial: escolha o banco com menores tarifas – e assim por diante. Tenha pressa para pagar dívidas com amigos e parentes, mesmo quando não há juros.

Problemas envolvendo dinheiro sempre podem abalar as suas relações.

PASSO 6 – CONFIE MAIS EM VOCÊ DO QUE NOS OUTROS

Ouça a sua intuição. Ela lhe dirá se você está investindo da melhor forma, se você fez as escolhas certas. Logicamente, para ter segurança nas opções que eleger, você terá que ouvir os outros, ler muito, se informar o máximo que puder.

Você precisa de tudo isso para tomar uma decisão acertada, e não apenas comprar algo que o gerente de banco quer lhe empurrar. Sua voz interior vai lhe ajudar a dar o peso certo para cada informação que você tiver. Conclusão básica: jamais faça qualquer negócio que você não tenha entendido perfeitamente. É melhor não dar nenhum passo do que fazê-lo sem se sentir à vontade.

É importante, também, caminhar num ritmo prudente. Vá aos poucos. Coloque parte de seus recursos num fundo de investimento, por exemplo, e veja como você vai reagir com o seu desempenho.

Se você se sentir bem, aumente a aplicação; caso se sinta apreensivo, ou desapontado, procure outro instrumento. Respeitar o seu perfil de risco e diversificar seus investimentos só ajudarão a lhe dar mais segurança.

PASSO 7 – ESTEJA ABERTO PARA RECEBER TUDO O QUE VOCÊ MERECE

A melhor maneira de ficar aberto para receber dinheiro é dar uma parte do que você tem para os outros. Se você relaxar um pouco e parar de segurar o que você tem com tanta força, ele fluirá para as suas mãos.

Suze notou que, entre seus clientes, aqueles que mais faziam doações mais ganhavam dinheiro. Isso acontece, segundo ela, porque, quando a pessoa dá dinheiro a alguém, ela se sente bem e se respeita mais.

Independentemente de quanto dinheiro você tiver, é normal pensar: eu não posso doar neste mês, eu não tenho nem o suficiente para pagar as contas, há tantas coisas que eu preciso ou quero…

Pois esse, justamente, é o momento exato para fazer uma doação. Não precisa ser nenhuma fortuna.

Você tem de romper esses pensamentos de que é pobre e, portanto, não pode dar. São eles que o prendem à pobreza.

PASSO 8 – ENTENDA AS IDAS E VINDAS DO DINHEIRO

Você deve entender e aceitar os ciclos do dinheiro na sua vida. É impossível prever como ele irá e virá no seu dia-a-dia. Imprevistos sempre podem acontecer – e acontecem. Algumas vezes você pode ter uma entrada inesperada.

Outras, o dinheiro pode ir embora e você se vê com menos do que imaginava. Tenha uma visão de longo prazo em relação às suas finanças. Os reveses que você pode enfrentar hoje ou no próximo ano não vão lhe tirar do caminho da liberdade em relação ao dinheiro. Pense em toda a sua história financeira.

Tente se lembrar dos piores episódios: como você se sentiu quando eles aconteceram? A crise mudou a sua vida? Como mudou? Se problemas que pareceram terríveis no passado sumiram sem deixar marcas, talvez você não precise sofrer tanto assim com problemas que possam lhe ocorrer hoje – e que estarão esquecidos no futuro.

Sua atitude diante dos problemas deve ser positiva. Se você se mantiver firme, lutando pelas suas metas e sonhos, você chegará lá. Isso é se sentir livre financeiramente.

PASSO 9 – RECONHEÇA O QUE É A VERDADEIRA RIQUEZA

Nossa qualidade de vida não depende apenas de como nós ganhamos, poupamos ou gastamos o nosso dinheiro. A verdadeira liberdade financeira se baseia na definição de quem somos e não do que nós fazemos ou temos.

Você não pode medir o que você é pelo tamanho do seu patrimônio líquido. Faça um exercício: ande pela sua casa como se ela fosse uma loja e coloque preços em tudo o que você tem. Agora avalie, dessas coisas todas, o que é realmente importante para você, o que lhe traz grandes lembranças, o que tem genuíno valor sentimental.

Se você estivesse no seu leito de morte hoje – e um dia você estará – no que você pensaria? Que você gostaria de ter tido mais dinheiro? Ou mais amigos? Ou uma vida mais cheia de outro tipo de riqueza?

Não é apenas o dinheiro que vai fazer você sentir liberdade financeira. Riqueza é muito mais do que ter dinheiro. A abundância deve ser um estado de espírito. Pessoas muito ricas que não aproveitam o dinheiro que têm e não compartilham nunca vão se sentir livres financeiramente.

Pessoas com muito, muito menos, que sentem um imenso prazer com aquilo que possuem, se sentem infinitamente mais livres.

E ASSIM TERMINA ESSES 9 PASSOS PARA SUA LIBERDADE FINANCEIRA, CONTINUE A ACOMPANHAR NOSSO SITE E NOSSAS REDES SOCIAIS PARA ANDAR NESSE CAMINHO DE LIBERDADE.

Deixe uma resposta