Banco Santander lançará serviços de criptomoedas no Brasil

O Banco Santander (Brasil) – braço brasileiro do gigante bancário espanhol – revelou intenções de oferecer serviços de criptomoedas aos clientes brasileiros. Com isso, a empresa se junta a uma série de instituições locais que já entraram no movimento dos ativos digitais, incluindo BTG Pactual, Nubank, PicPay e XP Inc.

Brasil pode ter um novo player no mercado cripto

Em uma entrevista recente para uma mídia local, o CEO do Brasil Santander – Mario Leão – disse que seu banco poderia fornecer serviços relacionados a criptomoedas para seus mais de 9 milhões de clientes. Ele informou ainda que a oferta levará alguns meses para se tornar ativa:

“Esperamos nos próximos meses ter definições sobre isso, quem sabe na próxima divulgação [dos resultados trimestrais], ou até antes.”

Leão apresentou-se como um verdadeiro defensor do universo dos ativos digitais, acreditando que “chegou para ficar”. A oferta será lançada não porque empresas rivais se apressem em entrar no setor, mas porque os usuários do Banco Santander têm demonstrado grande apetite pela classe de ativos:

“Reconhecemos que é um mercado que veio para ficar, e não necessariamente uma reação ao posicionamento dos concorrentes. É simplesmente uma visão de que nosso cliente tem demanda por esse tipo de ativo, então temos que encontrar a forma mais correta e educativa de fazer isso.”

Falando em outras empresas brasileiras que começaram a fornecer soluções de criptomoedas, vale citar o BTG Pactual, maior banco digital da América LatinaNubank, e PicPay . No início desta semana, a corretora líder do país – XP Inc. também divulgou que lançará uma bolsa de ativos digitais chamada XTAGE. Espera-se que esteja disponível publicamente em meados de agosto, pois, inicialmente, permitirá a negociação com bitcoin (BTC) e ether (ETH).

Brasil é um dos líderes mundiais em adoção cripto

A maior nação da América do Sul é conhecida como um local amigável para criptomoedas, já que uma grande parte de seus moradores está intrigada com a classe de ativos. Ao mesmo tempo, várias autoridades e reguladores demonstraram uma abordagem positiva.

De acordo com uma pesquisa realizada pela Gemini, o Brasil é líder global na adoção de criptomoedas, dividindo a primeira posição com a Indonésia. 41% dos brasileiros pesquisados ​​admitiram possuir bitcoin ou altcoins.

Por sua vez, o polo financeiro do país – o Rio de Janeiro – tem um prefeito interessado no setor. No início de 2022, Eduardo Paes anunciou intenções de alocar 1% do Tesouro da cidade em bitcoin. Ele também quer transformar o Rio em um centro global de ativos digitais:

“O Rio de Janeiro tem tudo para se tornar a capital tecnológica da América do Sul. Eventos como o Rio Innovation Week vêm para fortalecer a imagem da cidade como o lugar perfeito para trabalhar, viver e inovar.”

Alguns meses depois, as autoridades do Rio disseram que poderiam aceitar pagamentos em BTC para impostos. Se for bem-sucedida, a mudança a transformará na primeira cidade local com esse passo.

O governo brasileiro também é predominantemente aberto ao reino das criptomoedas. O último projeto de lei apresentado procurou reconhecer o bitcoin e outras moedas digitais como ativos financeiros legais.

fonte: cryptopotato

Deixe uma resposta